1º. de Maio CGTP-IN
2facebook

20170623CartaReivindicativaTrabalho por Turnos sintese 1

PETICAO PRECARIEDADE 250

SIESI Informa - Abril 2017

jornalsiesiCONTINENTE

Leis & Direitos

Direitos de parentalidade



Comunicado EGOR Loja CCB 2

Reunião com o CA EDP/SC

Situação já não permite que se arrastem os problemas!

Com tínhamos informado em comunicados anteriores, realizou-se hoje (2.2.2018) a reunião com a Administração das Soluções Comerciais que tínhamos solicitado, com o objetivo de dar conhecimento dos problemas e situações relacionadas com a Loja da CCB, mas que se alarga, em alguns aspetos, ao conjunto destas instalações, atualmente todas entregues a prestadores de serviços.

No caso em particular da CCB, todas as questões colocadas e identificadas no nosso comunicado de 26 de Janeiro passado, foram alvo de abordagem, obtendo-se o compromisso de intervenção junto da EGOR para que esta as tome em atenção e procure encontrar, numa base de diálogo, as necessárias soluções.

 

A EDP reafirmou que o respeito, reconhecimento e estímulo são fatores determinantes para que se obtenham resultados, embora, como já se esperava, tente sempre afastar qualquer relação direta com o problema, por forma a remeter as responsabilidades para o prestador de serviços, tentando retirar espaço à nossa reivindicação de que estes postos de trabalho deveriam ser da EDP.

Ficou, ainda, com várias questões em “mão” e que, na nossa opinião, não podem deixar merecer a devida atenção, com particular incidência nos salários e condições de trabalho precárias, onde impera o salário mínimo, com a procura de que os 10% acima, no mínimo, que deveriam ser praticados, a serem justificados com prémios subjetivos e injustos. Este valor deve ser aplicado no salário base e não desta forma, bem como se deve olhar para as situações de vencimentos discriminatórios em valor e entre categorias, o que não se pode considerar como exceções.

Tal resultou de conquistas resultantes do tempo de atividade e que importa manter e alargar, bem como reconduzir as situações onde existem diferenças para uma categoria superior à sua real expressão, seja ela remuneratória ou de tarefas efetivamente desempenhadas.

A organização do trabalho e as práticas, incluindo prémios e outras matérias, foram também profundamente exploradas, sendo apontadas razões e necessidades de serem alvo de alterações.

 

Adiar ou tentar tapar a realidade é “suicídio”!

Ficou expresso que já não é possível adiar ou tentar ignorar esta realidade e que não pode deixar de passar pela valorização do trabalho desenvolvido, assente em critérios de uma cada vez maior exigência de quantidade e qualidade.

Caso tal não suceda, é todo um processo que pode ser colocado em causa. De facto, é manifestamente impossível querer manter equipas capazes e motivadas, sem a devida compensação e condições de trabalho.

A EDP com a sua política de entrega de atividades ao exterior, a qual não é aceitável – repetimos - não pode tolerar que na sua casa se desenvolvam práticas de uma precariedade extrema e de relacionamentos assentes na pressão e intimidação.

Agora é a nossa vez...

O SIESI espera que esta reunião possa produzir efeitos a breve prazo e prepara já reuniões com os trabalhadores das várias lojas, onde se possa fazer uma discussão alargada sobre todos os aspetos que nos afetam e para os quais teremos de encontrar caminhos, através da organização dos trabalhadores.

Aos trabalhadores cabe um papel determinante. A sindicalização e ligação permanente ao Sindicato é a única garantia de que os seus direitos e interesses serão defendidos e de que nunca ninguém estará isolado em qualquer situação.

  • Os trabalhadores conhecem-nos!
  • Contem connosco e nós contamos com vocês!
  • Sindicaliza-te no SIESI e reforça os teus direitos!