2facebook

20170623CartaReivindicativaTrabalho por Turnos sintese 1

PETICAO PRECARIEDADE 250

SIESI Informa - Abril 2017

jornalsiesiCONTINENTE

Leis & Direitos

Direitos de parentalidade



Acção Sindical

225-lisboajpg.png«Construir o futuro é combater todas as formas de precariedade, é exigir o aumento dos salários, é reduzir e regular os horários de trabalho. Cada posto de trabalho tem de corresponder a um contrato efetivo. Mais salário representa uma real melhoria do poder de compra dos trabalhadores. As 35 horas para todos e sem adaptabilidades, banco de horas e outras desregulações nos horários de trabalho são essenciais para a melhoria de qualidade de vida dos trabalhadores.
Luta e sindicaliza-te, é a resposta mais firme à exploração que o patrão impõe!»

  • A CNS/ FIEQUIMETAL continua em negociação com a empresa tendo o objectivo de desbloquear a figura dos subsídios de estudo.
  • Quanto à obrigação de pagamento de IVA sobre o “benefício” na energia, manifestámos o nosso desacordo pela forma intempestiva com que se iniciou a sua cobrança, sem que fosse comprovada a sua legitimidade

Pela estabilidade no emprego, pela melhoria salarial, pela negociação colectiva!
A Direcção do SIESI (Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas) solicitou uma reunião com a Administração da empresa para discutir a melhoria das condições de remuneração no sentido de aproximar aos valores que estão no Contrato Colectivo do Material Eléctrico e Electrónico e pelo que é praticado no sector, nomeadamente categorias profissionais, diuturnidades, regulamentos de piquete, subsídio de alimentação.

siesi---rac-2015-aprovadopdf-capa-page-001.pngFoi aprovada, na Assembleia de delegados sindicais a 30 de Maio, a proposta da Direcção do SIESI no sentido da divulgação do Relatório de Atividades e Contas de 2015. Assim sendo, e num acto de transparência do sindicato, publica-se o Relatório de Atividade e Contas relativo ao ano de 2015, aprovado por maioria pela mesma assembleia, para que todos os sócios possam consultá-lo e analisá-lo, caso pretendam."

pdf Relatório e Contas 2015

 

20150420Exide 2010
No seguimento da decisão do Plenário realizado nos dias 11 e 12 de Maio, efectuou-se no dia 13/5 reunião com a Direcção da empresa, tendo-se chegado ao seguinte acordo do Caderno Reivindicativo 2016, com efeito retroactivo a 1 de Abril:
1º Aumento salarial de 1% com o mínimo de 20 EUROS para todos os trabalhadores e o Plano de Pensões no valor de 0,6% da massa salarial de cada trabalhador.
2º Comparticipação no refeitório – reduz de 0,31€ para 0,20€.
3º Prémio de Antiguidade – 33,00 Euros.
4º Subsídio de Refeição - 6,38 Euros.
5º Subsídio de Maternidade – 460 Euros.

Os Trabalhadores dizem Basta!

imagecelcat5

Nos últimos anos os Trabalhadores da CelCat sofreram com o resultado das políticas de austeridade.

As atualizações salarias miseráveis, o roubo dos feriados, a redução em 50% do pagamento das horas extraordinárias, o descanso compensatório, a retirada da majoração de férias (3 dias) passando para 22 dias, o aumento desenfreado dos ritmos de trabalho, promovendo a precariedade.

Randstad insiste em salários de miséria

moedas.png 
+ = 3 CÊNTIMOS POR DIA

Greve dias 20 e 21 de Junho 2016

Concentração dia 20, às 9h00, frente à sede da Randstad

celcat225.pngComeçou com 100 por cento de adesão, no sector de produção, a greve de quatro horas por turno que decorre hoje, amanhã e depois na CelCat (General Cable). Os trabalhadores lutam por um aumento salarial justo, depois de anos consecutivos de austeridade que conduziu à desvalorização dos salários e do valor do trabalho.

Greve vai mostrar desagrado na CelCat
20160322celcat-arquivo.jpg

Os trabalhadores da CelCat (General Cable) vão fazer greve a 31 de Março e 1 de Abril, durante quatro horas no início de cada turno. Lutam por um justo aumento salarial, a que a direcção da fábrica respondeu com o valor irrisório de 0,6 por cento e com uma tentativa de retirar direitos.
A CelCat está inserida no grupo internacional General Cable, que tem cerca de dez mil trabalhadores. Na unidade instalada em Morelena (Sintra) trabalham cerca de 275 pessoas, que produzem cabos eléctricos de baixa tensão e cabos de telecomunicações para Portugal e sobretudo para exportação (cerca de 80 por cento). Nos planos para 2016, está assegurada a venda de 80 por cento da produção.

Plenários debatem contraproposta salarial insuficiente
nortedsc00091.pngA contraproposta da administração da Thyssenkrupp Elevadores ao caderno reivindicativo apresentado pela parte sindical está muito aquém das reais possibilidades económicas e financeiras da empresa. Avançou apenas com aumentos médios de 1,4%, e mesmo assim num quadro discriminatório. Face a este panorama, estão a decorrer plenários de trabalhadores, que se prolongam até 16 de Março, para decidir o rumo das negociações e as acções a desenvolver.