2facebook

Combater o assédio

assedio laboral

20170623CartaReivindicativaTrabalho por Turnos sintese 1

Leis & Direitos

Direitos de parentalidade



COVID 19 Perguntas e respostas 1024 3

schindler2.jpg

O caderno reivindicativo dos trabalhadores da Schindler, recentemente apresentado à Direcção da empresa, reclama um aumento salarial de 30 euros para todos os trabalhadores, 10 euros para o subsídio de refeição e 35 euros para as diuturnidades. Propõe também mais regulamentação e a criação de um subsídio de salubridade para quem labora no exterior.

 

O caderno reivindicativo dos trabalhadores da Schindler foi entregue no passado dia 31 de Agosto. Para além das matérias pecuniárias, propõe que seja iniciada a negociação de um Regulamento do Serviço de Piquete, para estabelecer as condições de prestação de trabalho (área geográfica, remunerações fixas e variáveis e descansos obrigatórios, entre outras questões pertinentes). A Direcção da empresa já se mostrou disponível para debater esta questão.

Outro tema abordado aquando da entrega do caderno reivindicativo foi o da utilização de equipamentos electrónicos em contexto laboral, assunto que está definido legalmente e depende da autorização prévia da Comissão Nacional de Protecção de Dados. Os trabalhadores pretendem que os equipamentos móveis com que lidam não possam, em circunstância alguma, servir para controlar o seu desempenho profissional e, muito menos, serem utilizados para fins disciplinares.

Uma última reivindicação do pessoal da Schindler tem a ver com a negociação de um subsídio de salubridade. Pretendem uma compensação a ser paga mensalmente a todos os trabalhadores que desenvolvem a sua actividade predominantemente no exterior. Isto, designadamente, por essa situação laboral implicar necessidades acrescidas de hidratação e regulação térmica e pelos condicionalismos a que estão sujeitos no tocante às necessidades fisiológicas. Estas questões implicam naturalmente consumos e/ou tarifas das quais os trabalhadores pretendem ser ressarcidos.

A Schindler é uma multinacional austríaca que, em Portugal, tem a sede em Carnaxide, arredores de Lisboa, e delegações em vários pontos do país. Tem cerca de 450 trabalhadores e fabrica e instala elevadores e escadas rolantes.