2facebook

Combater o assédio

assedio laboral

20170623CartaReivindicativaTrabalho por Turnos sintese 1

Leis & Direitos

Direitos de parentalidade



COVID-19 - Perguntas e respostas

salarios190

Formação Profissional

20170612Inovinter Qualifica2

Acção Sindical

hanon trabalhadores 900x480

No dia 12 de Dezembro vota na Ana Cristino!

As regras devem valer para todos, não só para alguns.

Apelamos mais uma vez à participação de todos nas eleições para representante do Conselho de Empresa Europeu (CEE), na Hanon Systems, que se realização no próximo dia 12 de Dezembro nos períodos de refeição.

No passado dia 06 de dezembro foi apresentada uma reclamação ao presidente da Comissão Eleitoral, que é simultaneamente o atual representante para o CEE, sobre o facto de só ter sido entregue uma única lista candidata até ao prazo definido que cumprisse com o que está definido no Nº 1 do Artº 57 conforme divulgado no placar da fábrica, ou seja, a candidatura da Ana Cristino.

Participa nas Eleições para o Conselho de Empresa Europeu

Pelo direito à informação de todos os trabalhadores

No dia 12 de Dezembro vota na Ana Cristino!

No próximo dia 12 de Dezembro serão realizadas eleições para Representantes dos Trabalhadores da Hanon Systems para o Conselho de Empresa Europeu (CEE). A participação de todos neste acto eleitoral é muito importante!

O Conselho de Empresa Europeu é um órgão de representação dos trabalhadores, instituído em muitas multinacionais, através de Directiva Europeia cujo principal objectivo é a informação e consulta sobre os principais temas relacionados com a actividade destas empresas.

A participação dos trabalhadores nesta estrutura de representação é fundamental também para defender os interesses dos trabalhadores, nomeadamente na defesa do emprego, na promoção da negociação colectiva, da acção reivindicativa na empresa e também para dar conhecimento aos órgãos de direcção da empresa, a nível europeu, da situação que se vive na empresa em Portugal.

O direito à informação e consulta é dos trabalhadores. Não é um segredo de estado!

No dia 12 de Dezembro Vota na Ana Cristino!

É preciso valorizar os trabalhadores das instaladoras!
Os trabalhadores do sector das empresas instaladoras têm visto as suas condições de trabalho e de vida degradar-se ao longo dos anos, contrastando com os bons resultados obtidos pela maioria das empresas.
São confrontados com baixos salários, ritmos de trabalho longos e intensos, são sujeitos a riscos elevados devido aos trabalhos em altura, em profundidade e/ou em tensão, realizam tarefas penosas, (nomeadamente ao nível das vibrações, dos ruídos ou calor).
Os trabalhadores das empresas instaladoras são trabalhadores especializados que realizam trabalhos de grande complexidade técnica. Contudo os vencimentos que recebem não são minimamente justos para o valor do seu trabalho e a responsabilidade das suas funções.
O SIESI tem propostas justas e razoáveis para corrigir estas situações e para valorizar estes trabalhadores.
Entre as propostas do SIESI para o sector, destaca-se:

Caderno Reivindicativo aprovado
Os trabalhadores do Grupo Visabeira aprovaram, em vários plenários, o Caderno Reivindicativo a apresentar à Administração da empresa, tendo como objectivo melhorar as suas condições de vida e de trabalho.
As reivindicações dos trabalhadores são justas e razoáveis, tendo em conta a boa situação económica e financeira da empresa. No primeiro semestre deste ano, os lucros do Grupo Visabeira aumentaram cerca de 43,6% (cerca de 20 milhões de euros), que se somam aos mais de 100 milhões de euros obtidos em 2017 e 2018.
Para estes bons resultados da empresa muito contribuiu o esforço, dedicação e empenho de todos os trabalhadores do Grupo, sendo que há perspectivas de melhores resultados no decurso do corrente ano e do próximo.
Os trabalhadores do Grupo Visabeira, ao aprovar o Caderno Reivindicativo, consideraram que estão criadas as condições para uma adequada actualização dos salários e das condições de trabalho, nomeadamente:

Participa nos Plenários
Campanha Europeia de Informação:
Oferta Pública Inicial da Elevator Technology!
A Comissão Intersindical na empresa convoca todos os trabalhadores, sindicalizados ou não, a participarem nos plenários que se realizarão conforme o calendário abaixo:

tke 2019 12 02

Ordem de Trabalhos

1. Campanha Europeia de Informação: Oferta Pública Inicial da Elevator Technology.
2. Negociação do Serviço de Piquete.
3. Diversos.

A luta é o caminho! Participa nos Plenários!

Todos os trabalhadores podem participar nos plenários, sendo ou não sindicalizados.
Nos termos da Lei cada trabalhador dispõe de quinze horas por ano, remuneradas, para participar nos plenários dentro do horário normal de trabalho.
Sindicaliza-te! Sindicalizado/a estás mais protegido/a!

Comissão InterSindical da Fiequimetal
na thyssenkrupp Elevadores

Ler Comunicado aos Trabalhadores da Thyssenkrupp Elevadores

 

 

Compromissos assumidos para soluções ao Serviço de Piquete levam à desconvocação da Greve na Thyssenkrupp Elevadores.
trabalhadores da Thyssenkrupp Elevadores
A LUTA VALE SEMPRE À PENA!

No passado dia 15 de Novembro realizou-se reunião entre a Comissão Negociadora Sindical na Thyssenkrupp Elevadores e a direcção da empresa para discutir a situação actual do Piquete, tendo em conta a redução das escalas de Piquete em 4 delegações.

Com os vários compromissos assumidos pela direcção da empresa foi possível chegar a um entendimento equilibrado e, assim, desconvocar a greve que estava suspensa, nomeadamente:

Reestruturação da EDPD! Prenúncio de…

“Algum vento, mas não um vendaval”

Qualquer reestruturação só tem êxito se vista num quadro de um sector determinante para o país e seu desenvolvimento e não um grupo com o mero objectivo de gerar lucros para os accionistas.

Mesmo que exista vontade de algumas empresas, o cerco é claro e a orientação também: reduzir quadros e remeter actividades para o exterior, à custa de degradação do serviço aos consumidores e trabalhadores (casos da Valor e Sãvida), tentando afastar direitos. 2022 só tem um objectivo: mais de 4 mil milhões para os accionistas.

 Ler comunicado aos trabalhadores da EDP- Distribuição

Comunicado Pegop e EDP 29

Encerramento sofre alterações de posição...

Solicitada reunião urgente ao Governo!

Subsiste um quadro inaceitável em sequência de uma discussão séria, mas que não pode servir para justificar que se ignore e atropelem os direitos de cerca de seis centenas de trabalhadores e suas famílias.

À margem da discussão para as eleições e algumas questões que são unânimes, há posições que refletem um profundo desconhecimentos da realidade e, mais grave, que ignoram a existência de “vítimas da cura”!

É que à convergência de datas precisas de algumas forças políticas (duas, em particular), junta-se agora o Governo, curiosamente e ao contrário do que assumiu no seu programa eleitoral: até 2023 (Pego) e entre 2025 a 2030 (Sines). Esta reviravolta reveste-se por isso de contornos estranhos, assumindo as “dores” dos cumpridores exemplares que batalham por 2021 e 2023, respetivamente. Falamos de duas Centrais a carvão e há países como, por exemplo, a Alemanha que tem cerca de 70. Pois!

Catalan

A aplicação de pesadas penas de prisão efectiva a dirigentes de forças políticas, a membros e ex-membros do parlamento e governo regional pela sua participação no referendo sobre a auto-determinação da Catalunha a 1 de Outubro de 2017, teve como consequência a realização de grandes mobilizações de contestação por parte das organizações cívicas, políticas e sindicais da Catalunha.

Sendo uma situação que tem fundas raízes históricas e de natureza político-constitucional, no que respeita ao relacionamento entre o Estado Espanhol e a Catalunha, a CGTP-IN considera que os problemas políticos devem resolver-se pela via do diálogo e da negociação e nunca pela via da judicialização, da violência e da repressão policial. Neste quadro a evolução do processo não pode deixar de ter presente a necessidade de anulação das penas e condenações, o aprofundamento do diálogo e a vontade maioritária do povo catalão.

No momento em que diversas forças da Catalunha– sindicais, sociais e populares – promovem greves ou mobilizações, a CGTP-IN manifesta a sua solidariedade a todos os que lutam contra a repressão e violência por parte do Estado Espanhol.

A complexidade do momento que se vive na Catalunha justifica a adopção de medidas que assegurem o diálogo aos mais diferentes níveis da representação política e combatam a instrumentalização de sentimentos nacionalistas e ideias de sectores fascistas/franquistas que durante anos oprimiram e atacaram os povos de Espanha.