2facebook

20170623CartaReivindicativaTrabalho por Turnos sintese 1

PETICAO PRECARIEDADE 250

SIESI Informa - Abril 2017

jornalsiesiCONTINENTE

Leis & Direitos

Direitos de parentalidade



Acção Sindical

lojas edp

O caminho é feito de grandes “batalhas”...

Falar claro e criar resultados para os trabalhadores é o que nos move!

O SIESI sempre assumiu – e esse tem de ser a base que sustenta o nosso objetivo central - que os trabalhadores das Lojas (e dos CallCenters) efetuam um trabalho imprescindível para a EDP, tendo substituído trabalhadores daquela empresa, com direitos conquistados pela sua luta ao longo de mais de quatro décadas, através do recurso a “prestadores de serviços” onde o salário mínimo ou pouco mais e algum prémio, aqui ou  acolá, é o pagamento de um trabalho de qualidade e de exigências crescentes a todos os níveis, dando a cara e o melhor da sua capacidade todos os dias pela e para a EDP.

Por isso a nossa luta, interpretando o sentimento dos nossos associados e, de certeza, a esmagadora maioria dos trabalhadores, é inequívoca: o direito a um tratamento que se equipare aos trabalhadores EDP, única forma de se poder integrar os quadros daquela empresa e acabar com o negócio do trabalho precário, o qual é uma fonte de rendimento para empresas (EDP e Prestadores de serviços) à custa de todos nós e do nosso trabalho e esforço a troco de patacos. A isso chama-se: ganhar a vida de forma fácil à das vidas difíceis!

Concentração na EDP
No dia 1 de Março realiza-se uma concentração junto da sede da EDP (acesso pela Rua D. Luís I), às 17h00, no momento em que a administração apresentará os resultados relativos ao ano de 2017. Vai ser colocada em evidência a falta de argumentos para a empresa se recusar a evoluir na negociação dos aumentos salariais para 2018.

Março de luta
Esta jornada insere-se num «mês de esclarecimento, acção e luta», como a federação designou o conjunto de iniciativas que vai levar a cabo ao longo de Março.

 instaladores

Os trabalhadores das instaladoras não são escravos! Os seus direitos devem ser respeitados.

A direcção do SIESI apela aos trabalhadores das instaladoras eléctricas e de telecomunicações que se sindicalizem e para que com a restante estrutura do sindicato, contribuam para alterar a realidade do sector e sobretudo para garantirem os seus direitos e melhorarem as suas condições de vida.

Nos últimos anos os trabalhadores das empresas instaladoras eléctricas e de telecomunicações têm observado o surgimento de inúmeras empresas que dedicam, no essencial, a sua actividade à prestação de serviços a grandes empresas como a EDP, REN, Vodafone, MEO, etc.

Em muitos casos essas empresas são subcontratadas por instaladoras de maior dimensão como é exemplo a Visabeira, Sotécnica ou Pinto e Bentes. Contudo e apesar da multiplicação de empresas, hoje o sector é mais pobre e observa-se uma tentativa dos patrões de aumentarem os seus lucros, pondo muitas vezes em causa os direitos dos trabalhadores.

No sector os ataques mais frequentes aos direitos dos trabalhadores estão relacionados com: a precariedade dos contratos a termo certo e incerto, a classificação profissional dos trabalhadores da carreira de electricista, a desvalorização dos salários, o incumprimento no pagamento do trabalho suplementar e do descanso compensatório e fracas condições de alimentação e alojamento quando os trabalhadores estão deslocados.

Uma realidade que não é inalterável.

O SIESI, sindicato que representa os trabalhadores do sector das instaladoras tem uma vasta experiência de trabalho em conjunto com os electricistas e outros profissionais do sector das instaladoras, no sentido de melhorar os salários praticados, exigir o cumprimento da progressão na carreira de electricista e na garantia de melhores condições de trabalho e de vida para os trabalhadores.

Atendo à realidade no sector e à experiência da mais-valia que é estar organizado no SIESI, o caminho para os direitos dos trabalhadores das instaladoras serem respeitados é organizarem-se no SIESI.

Sindicaliza-te! Luta por seres respeitado e pelos teus direitos!

ADMINISTRAÇÃO DA EDP BLOQUEIA NEGOCIAÇÕES

A CNS/Fiequimetal reafirma a sua preocupação com a intransigência demonstrada pela administração da EDP ao manter, contra todas as expectativas dos trabalhadores, a proposta insignificante de 0,6% que apresentou há algumas reuniões atrás.

Não é concebível que uma empresa que, nos últimos anos somou mais de seis mil milhões de euros de lucros venha agora querer dar apenas umas migalhas aos trabalhadores, não chegando sequer a ter em linha de conta os valores da inflação registada em 2017.

Os trabalhadores merecem respeito. São eles que, com o seu esforço e dedicação, geram toda a riqueza.

A proxima reunião está agendada para 07 de Março de 2018

DEFENDE OS TEUS DIREITOS, SINDICALIZA-TE.
Lisboa, 21 de Fevereiro de 2018

Exige-se respeito pelos trabalhadores

A CNS/Fiequimetal manifesta o seu profundo desagrado com o caminho que a administração está a impor às negociações da tabela salarial.

Com efeito não é admissível que a CN/EDP não venha para as reuniões plenárias preparada para responder às nossas propostas com alterações consentâneas com as reais expectativas dos trabalhadores e com as reais possibilidades da empresa.

Ao não alterar a proposta de 0,6% que tinha apresentado na ultima reunião e à qual nós respondemos com a alteração da nossa proposta para 3,2% a CN/EDP demonstra claramente que não pretende chegar a valores minimamente justos e aceitáveis para os trabalhadores, verdadeiros responsáveis pela criação da riqueza que a administração distribui alegremente por si e pelos acionistas.

schindler2
Plenário dia 20 de Fevereiro, às 18:00h, na Av. Almirante Reis nº 74G, 4º andar - Lisboa
Para discutir a melhoria dos Salários, o Regulamento de Piquete e as condições de trabalho!
A Direcção do SIESI (Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas) promoverá
plenário de trabalhadores, em Lisboa, no próximo dia 20 de Fevereiro, às 18:00hs. É um direito dos trabalhadores participar nos plenários, e poderão participar, sendo sindicalizados ou não.

A instalação de geolocalização nos smartphones, a negociação salarial, o Regulamento de Piquete e outros temas que os trabalhadores entendam como importantes continuarão a ser discutidas em reuniões futuras com a Administração da Schindler.

O direito à filiação sindical está previsto na lei, qualquer tentativa no sentido de impedir, reprimir, discriminar ou marginalizar os trabalhadores que entendam defender os seus direitos comete crime grave com punição prevista.

Todos os esclarecimentos necessários poderão ser obtidos através dos dirigentes sindicais do SIESI: Igor Oliveira 918 210 830 e Luís Santos 917 000 727.

 

Comunicado EGOR Lojas 16

Reunião com EGOR no dia 19

Ficou hoje marcada para segunda-feira próxima (19 de Fevereiro), pelas 15,30 horas, uma reunião com a EGOR, aliás o que já tinha sido informado como estando a aguardar-se, mas cuja data e hora só agora foi acordada.

Esta reunião, cujos objetivos foram já amplamente divulgados e resultam das reclamações/reivindicações dos trabalhadores, o que terá já condições de obter respostas da empresa por o tempo para a sua análise ter sido mais que suficiente.

Dos resultados que dela existirem daremos conhecimento imediato.

Não há mais tempo!

A CNS/ Fiequimetal registou, com preocupação, a pouca disponibilidade negocial que a administração da EDP, mais uma vez, demonstrou hoje, dia 07-02-2018, ao apresentar na mesa de negociações uma alteração da sua proposta para apenas 0,4%.

Em resposta a CNS/ Fiequimetal alterou a sua proposta para 3,5%, afirmando no entanto que a EDP tem condições para apresentar uma proposta mais realista e mais justa para os trabalhadores.

Na sequencia a CN/EDP alterou então a sua proposta para 0,6%.

 
Conforme decidido pelos trabalhadores, a greve em reivindicação do gozo do feriado de Carnaval foi declarada.
Nos termos e para os efeitos do Artigo 57ª da Constituição da República Portuguesa e do Código do Trabalho, nomeadamente do seu artigo 534º, os trabalhadores da Randstad II Prestação de Serviços Lda., estarão em greve.
A greve inicia-se pelas 00:00 do dia 13 de Fevereiro de 2018 até à 1:00 do dia 14 de Fevereiro de 2018.
O exercício da greve é um direito que assiste a todos os trabalhadores, sindicalizados ou não.

Comunicado EGOR Loja CCB 2

Reunião com o CA EDP/SC

Situação já não permite que se arrastem os problemas!

Com tínhamos informado em comunicados anteriores, realizou-se hoje (2.2.2018) a reunião com a Administração das Soluções Comerciais que tínhamos solicitado, com o objetivo de dar conhecimento dos problemas e situações relacionadas com a Loja da CCB, mas que se alarga, em alguns aspetos, ao conjunto destas instalações, atualmente todas entregues a prestadores de serviços.

No caso em particular da CCB, todas as questões colocadas e identificadas no nosso comunicado de 26 de Janeiro passado, foram alvo de abordagem, obtendo-se o compromisso de intervenção junto da EGOR para que esta as tome em atenção e procure encontrar, numa base de diálogo, as necessárias soluções.